Controle as suas finanças

Sem sombra de dúvida, o sonho da maioria dos brasileiros é ter as contas em dia. O planejamento financeiro é fundamental para a conquista desse sonho.

A primeira desculpa da pessoa que está “no vermelho” é a de que ganha pouco. Mas o problema é que o salário é limitado e o sonho, para muitos, não tem limite. Se o desejo é ter sempre o melhor, o resultado é ter sempre dívidas. Independente do salário.

Uma pessoa que enfrenta uma crise financeira está sujeita a vários tipos de problemas, entre eles, podemos citar: dificuldade de produção no trabalho (por não conseguir se concentrar adequadamente), depressão, ansiedade e auto-estima muito abalada. Resolver uma crise financeira pressupõe mudar de vida, pois a pessoa precisa ajustar o seu padrão de vida à sua realidade econômica. A melhor maneira de não precisar passar por isso ainda é a prevenção.

Gastar mais do que se ganha é o principal erro cometido. Usar sempre o cheque especial, efetuar sempre o pagamento mínimo do cartão de crédito e atrasar as contas da casa, indicam que há mais gastos do que receitas.

A organização das finanças pessoais requer sacrifício. É de suma importância que as pessoas mantenham um padrão de vida dentro de suas possibilidades. Há pais que querem dar aos filhos tudo o que não tiveram e acabam ensinando à criança que ela tem direito a tudo que quiser na vida. Agindo dessa maneira, os pais estão tirando a coisa mais preciosa, que nunca poderiam tirar de um filho, que é o direito de desejar e conquistar as coisas, e, ao mesmo tempo, estão alimentando neles o impulso consumista.

Não caia na tentação de adquirir alguma coisa acima das suas possibilidades por causa do crédito fácil. Resista sempre aos apelos de marketing do tipo: “Você merece” ou “Realize seus sonhos”. Isso pode lhe custar muito caro.

Nas palestras que ministro sobre finanças pessoais sempre procuro mostrar que o cartão de crédito é um avanço nas relações comerciais, principalmente pela praticidade que ele oferece, além de proporcionar um bom prazo para o pagamento das compras, se bem usado. Mas, infelizmente, as pessoas cometem dois erros básicos no uso do cartão:

  • Fazer o pagamento mínimo da fatura.
  • Atrasar o pagamento da fatura.

Com isso a pessoa entra no crédito rotativo com altas taxas de juros. Outro problema é que o cartão de crédito, pela sua praticidade, estimula compras desnecessárias e por impulso.

Hoje em dia muitas pessoas que fazem dívidas só se consideram endividadas quando atrasam um pagamento, mas a verdade é que, até saldar a dívida a pessoa estará endividada. O atraso não é a dívida, mas sim inadimplência.

Para finalizar apresento algumas dicas importantes para as pessoas não se endividarem no cartão de crédito:

Antes de sair de casa para fazer as compras, calcule quanto você poderá gastar e responda estas três perguntas:

1) Você tem condições de comprar à vista, com desconto?

2) Se você não comprar agora vai fazer muita falta?

3) Esta é a melhor forma de gastar o dinheiro?

Não se iluda com as ofertas de crédito nem com as facilidades de compra proporcionadas pelo seu cartão.

Nunca faça o pagamento mínimo nem atrase o pagamento das faturas.

Cuidado: Cartão de crédito e cheque especial não são modalidades de empréstimo. Se precisar de empréstimo recorra a uma modalidade adequada.

* Célio Tavares – Especialista em Finanças. (37) 9.9987-9358.

Para mais detalhes acesse o nosso site: www.ctavares.com.br – você vai encontrar artigos, cursos com algumas aulas gratuitas e vídeos sobre finanças pessoais e empresariais.

Comentários